Segurança Orgânica: quando pode ser utilizada vigilância armada e desarmada

Saiba mais sobre o conceito de segurança orgânica nas empresas, e a utilização de vigilância armada e desarmada

O conceito de segurança orgânica, no sentido mais amplo, é toda ação, cautelas e medidas de proteção adotadas por uma organização.

A preocupação crescente com medidas de segurança, tanto em instituições públicas quanto privadas, deve ser estendida a todos os colaboradores, fornecedores e clientes.

Portanto, a segurança orgânica em uma empresa deve ser realizada em conjunto por todos, sendo que alguns profissionais têm uma atuação mais determinante, como os vigilantes e porteiros. 

FUNÇÕES DO PORTEIRO

Para a função de porteiro, o treinamento é importante e cada vez mais exigido por empresas e condomínios. As principais tarefas do porteiro são o atendimento ao público, e o controle de entrada e saída de pessoas, contribuindo assim com a segurança orgânica.

FUNÇÕES DO VIGILANTE

Para exercer a profissão de vigilante, são necessárias especialização e formação em cursos específicos. A atividade do vigilante é a vigilância patrimonial e de pessoas, e a empresa que contrata tem a opção do porte de arma para sua função.

QUANDO O VIGILANTE DEVE TRABALHAR ARMADO?

Muita gente se confunde nessa hora, por isso é importante contar com empresas especializadas para planejar a segurança patrimonial, de acordo com as características e o cenário de cada local.

O uso profissional de vigilância armada leva em conta uma série de variáveis, como:

LOCALIZAÇÃO DA EMPRESA

A localização da empresa é um dos pontos fundamentais para o planejamento dos serviços de segurança armada. Se estiver localizada em uma periferia, ou perto de presídio, o risco é maior e a presença de vigilantes armados é aconselhável. 

Se a empresa está em área urbana ou rural também é um fator decisivo para essa escolha.

QUAIS OS PRODUTOS DA EMPRESA?

Uma fábrica de eletrônicos ou uma joalheria, por exemplo, são muito mais visadas que uma indústria alimentícia ou têxtil.

Produtos com alto valor agregado são mais vulneráveis no aspecto de segurança, pois sofrem mais tentativas de assaltos e estão sempre na mira dos criminosos.

LOCAIS DE GRANDE FLUXO

Os vigilantes não devem expor o público a situações de risco. Portanto, o uso de armas não é recomendado em hospitais, escolas, shoppings ou supermercados. Nestes casos o ideal são armas não letais, como o choque.

Em shoppings ou supermercados o vigilante armado pode trabalhar em postos isolados, como nas docas e no estoque. Já dentro das agências bancárias a presença de vigilante armado é obrigatória por lei.

IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO E FISCALIZAÇÃO

Os vigilantes armados devem ser altamente treinados, prontos para agir sem colocar em risco a própria vida e a de inocentes. 

As empresas de segurança são fiscalizadas pela Polícia Federal, e todas as armas e munições devem ser registradas e estar com a manutenção e limpeza em dia.

CONTE COM A POLISERVICE PARA A SEGURANÇA ORGÂNICA EM SUA EMPRESA.

A Poliservice é especialista em Segurança Patrimonial. Atendemos residências, condomínios, empresas, órgãos públicos e outros estabelecimentos que necessitam serviços de vigilância.

Solicite um orçamento: http://www.poliserviceservicos.com.br

 

Fonte: